Cerros de Bagé

A primeira referência aos Cerros de Bagé é de meados de 1750, em mapas geográficos sobre a região, citando os “cerros”, resultante das expedições dos exércitos espanhóis e portugueses, demarcadores do Tratado de Madri.

Posteriormente, em 1787, o filósofo, matemático e geógrafo José de Saldanha, em seu “Diário Resumido e Histórico da Demarcação”, cita os “Serros de Bayé”, como a seguinte explicação etimológica: “Mbaiê, cerros já descritos na derrota de 1786; Mbay significa, entre os Tapes, cerro ou monte”, o ê significa plural.

Na ocasião da famosa marcha que daria origem à cidade de Bagé, a marcha do Exército Pacificador, conduzido pelo Capitão General da Província de São Pedro do Sul, Dom Diogo de Souza, escolheu este ponto para uma das três colunas do seu exército “que acampasse num lugar com abundância de água, pastos e lenha, entre a nascente do Rio Negro e os Serros de Bagé”. Chegaram ao local marcado no último dia de 1810, e iniciaram a construção do acampamento no dia 3 de janeiro de 1811.

A cruz que se encontra no alto do Cerro foi colocada a mando do Monsenhor Costábile Hipólito, em 1932, celebrando a paz, pelo fim da Revolução de 1930.

O acesso aos Cerros de Bagé é seguindo o final da Rua do Acampamento.

 

Hills of Bagé*

The first references to the hills of Bagé were in mid-1700’s maps which resulted from the expeditions of Spanish and Portuguese armies that demarcated the borders established by the Treaty of Madrid. Later, in 1787, philosopher, mathematician and geographer José da Saldanha, in his “Abbreviated Historical Demarcation Log-book”, mentioned “Serros de Bayé” and the following etymological explanation: “Mbaiê, hills already described in the defeat of 1786; Mbay means, for the tribe of Tapes, hill or mount,” and “ê” means plural.

When the peacekeeping troops led by the President of São Pedro do Sul Province, Dom Diogo de Souza, made their famous march that would give origin to Bagé, the region was chosen as their military camp because the place was “abundant in water, grasslands and wood, between the headwaters of Negro River and the Hills of Bagé.” They arrived on the last day of 1810 and started building the camp on January 3rd, 1811. The cross on the top of the highest hill was placed there by order of Monsignor Constábile Hipólito in 1932 to celebrate peace and the end of the 1930’s Revolution. The hills can be accessed by Rua do Acampamento (Camping Street).

 

*Versão em inglês - Unipampa Campus Bagé:

Coordenação do Projeto: Profa. Aden Rodrigues Pereira
Professora Responsável pela versão em inglês: Profa. Simone Silva Pires de Assumpção
Alunos-voluntários: Maria Eduarda Garcia Amaral Valone Pedro Aurelio Brites Quevedo Visentini

 


Desenvolvido por Vitrine Brasil |